• Imagem Carrinho Vazio Seu Carrinho Está Vazio

  • Botão Fan Page Facebook

Degredados e Imigrantes

Trajetórias de ex-prisioneiros de Mecklenburg-Schwerin no Brasil Meridional (século XIX)

Versão Impressa

Disponível: Em estoque

R$35,00

Descrição Rápida

Este livro investiga a composição, a condição social e as estratégias de um grupo de emigrantes, provenientes das Casas de Correção, Trabalho e Penitenciárias do Grão Ducado de Mecklenburg-Schwerin, estabelecidos no Rio Grande do Sul a partir da primeira metade do século XIX.

Mais Imagens

Detalhes

A presença de mecklenburgueses nas Colônias Alemãs do Rio Grande do Sul/Brasil gerou controvérsias na historiografia. Os mais “conservadores” admitem que os mecklenburgueses chegaram “antes de 1824”, “estabeleceram-se em Santa Catarina” ou “desapareceram devido a sua conduta imoral”, sem de fato analisar o movimento de seus agentes.

Tags do Produto

Use espaços para separar as tags. E aspas simples (') para frases.

Título Degredados e Imigrantes
Subtítulo Trajetórias de ex-prisioneiros de Mecklenburg-Schwerin no Brasil Meridional (século XIX)
Autor(es) Caroline von Mühlen
Editora/Selo Editora UFSM
Assunto Principal História - Imigração alemã - Rio Grande do Sul, História - colonização alemã - Rio Grande do Sul, Política - Brasil, História - Brasil
Assunto Secundário Não
Origem do Livro (Nacional/Importado) Nacional
Coleção Não
Número de Páginas 244 Pág.
Número da Edição
Ano da Edição 2013
ISBN 9788573911770
Código de Barras 9788573911770
Faixa Etária Graduação, pós graduação e outros.
Idioma Português
Número do Volume ou Tomo Único
Classificação Fiscal (ncm) 49019900

Apresentação

1 Introdução

 

Parte I "O que se sabia..."

2 Representações acerca do imigrante mecklenburguês

 2.1 Perpetuação de um mito: os mecklenburgueses através das lentes da historiografia clássica.

2.2 Sob olhar dos viajantes: colônia e imigrante alemão no Rio Grande do Sul

2.3 Um novo olhar... E a historiografia recente

 

Parte II Grão-Ducado de Mecklenburg-Schwerin na primeira metade dos Oitocentos

3 Negociação, transporte e travessia: peculiaridades do sistema burocrático alemão

3.1 O lócus de análise em um contexto em transformações no primeiro quartel dos Oitocentos

3.2 Autos acerca do processo de recrutamento de prisioneiros mecklenburgueses

3.2.1 Transporte: da Casa de Correção até o porto de Hamburgo

3.2.2 Relatório do Capitão de Cavalaria Hanfft

3.3 “As âncoras foram levantadas e os emigrantes deixaram” o Grão-Ducado de Mecklenburg-Schwerin: travessia do Oceano Atlântico

3.3.1 Entre tempestades e ventos favoráveis: verão de 1824

3.3.2 A “tragi-comédia” no navio Georg Friedrich

4 Exclusão, criminalidade e prisão: perfil dos prisioneiros de mecklenburg-schwerin

4.1 Sistema carcerário no Grão-Ducado de Mecklenburg-Schwerin

4.2 Crimes contra a propriedade e contra a vida: furtos, assassinatos, maus-tratos

4.2.1 Perfil dos envolvidos

4.3 Crimes contra a ordem pública: vagabundos, sem pátria, desertores

4.3.1 O perfil dos envolvidos e dos crimes

 

Parte III Trajetórias de mecklenburgueses no Rio Grande de São Pedro Oitocentista

5 Em busca de melhores condições de vida: estratégias sociais e trajetórias familiares

5.1 Viver e sobreviver na Colônia Alemã: razões de sua fundação

5.2 Cotidiano e formas de sociabilidade: mobilidade e inserção social dos ex-prisioneiros no Rio Grande do Sul

5.2.1 Tecendo alianças: cruzando destinos e trajetórias diversas

5.2.2 Relações interpessoais: muitos parentes

5.2.2.1 Compadrio da família Witt

5.2.2.2 Compadrio da família Scheck

5.2.3 Problemas de sociabilidade: crimes e conflitos

 

6 Considerações finais

7 Fontes e bibliografia

8 Índice onomástico

9 Índice de localidade

 

Apêndices