• Imagem Carrinho Vazio Seu Carrinho Está Vazio

  • Botão Fan Page Facebook

Fisiologia de Peixes Aplicada à Piscicultura - 2ª ed.

Versão Impressa

Disponível: Sem estoque

R$43,00

Descrição Rápida

Este livro explica vários aspectos do funcionamento dos órgãos e sistemas do corpo dos peixes (agora com um novo capítulo sobre endocrinologia) e sua relação com o ambiente natural e de cultivo.

Mais Imagens

Detalhes

Este não é um livro de piscicultura, mas explica vários aspectos do funcionamento dos órgãos e sistemas do corpo dos peixes (agora com um novo capítulo sobre endocrinologia) e sua relação com o ambiente natural e de cultivo, tornando-o uma ferramenta útil para quem cria ou pretende criar peixes. O livro também apresenta muitas informações específicas sobre espécies brasileiras, algo difícil de ser encontrado em livros de piscicultura nacionais e inexistente em livros importados.

Tags do Produto

Use espaços para separar as tags. E aspas simples (') para frases.

Título Fisiologia de Peixes Aplicada à Piscicultura - 2ª ed.
Subtítulo Não
Autor(es) Bernardo Baldisserotto
Editora/Selo Editora UFSM
Assunto Principal Psicultura, fisiologia vegetal, peixes, zootecnia, criação de peixes
Assunto Secundário Não
Origem do Livro (Nacional/Importado) Nacional
Coleção Não
Número de Páginas 352 Pág.
Número da Edição 2ª revista e ampliada
Ano da Edição 2009
ISBN 9788573911176
Código de Barras 9788573911176
Faixa Etária Graduação, pós graduação e outros
Idioma Português
Número do Volume ou Tomo 1
Classificação Fiscal (ncm) 49019900

Apresentação

1 Fisiologia e piscicultura: qual a relação?

2 Digestão

2.1 Introdução

2.2  Estrutura do sistema digestório

2.2.1 Cavidade bucal e faringe

2.2.2 Esôfago

2.2.3 Estômago

2.2.4 Intestino

2.2.5 Pâncreas e vesícula biliar

2.3  Enzimas digestivas

2.4  Hormônios gastrintestinais e neurotransmissores com atuação nos processos digestórios

2.5  Motilidade e esvaziamento do trato digestório

2.6 Absorção de nutrientes

2.6.1 Estrutura do intestino

2.6.2 Absorção de proteínas

2.6.3 Absorção de carboidratos

2.6.4 Absorção de lipídios

2.6.5 Absorção de fósforo inorgânico (pi)

2.6.6 Absorção de ferro

2.6.7 Absorção de vitaminas

2.6.8 Absorção de nutrientes e dieta alimentar

2.7 Digestão em larvas

3 Respiração e circulação

3.1 Introdução

3.2 Respiração

3.2.1 Estrutura das brânquias

3.2.2 Ventilação branquial

3.2.3 Respiração aérea nos peixes

3.3 Circulação sangüínea

3.3.1 Estrutura do sistema circulatório

3.3.2 Transporte do oxigênio para as células

3.4 Hipóxia

3.4.1 Causas da redução da quantidade de oxigênio dissolvido na água

3.4.2 Adaptações cardiorrespiratórias à hipóxia

3.4.3 Efeito da hipóxia na afinidade hemoglobina – oxigênio

3.4.4 Hipóxia e metabolismo

3.5 Gás carbônico

4 Temperatura

4.1 Introdução

4.2 Controle da temperatura corporal

4.3 Adaptações à variação da temperatura

4.3.1 Ajustes comportamentais

4.3.2 Tolerância

4.3.3 Preferência

4.3.4 Ajustes fisiológicos

5 Osmorregulação

5.1 Introdução

5.2 O ambiente aquático

5.3 Osmorregulação na água do mar

5.4 Osmorregulação na água doce

5.5 Osmorregulação em ovos, embriões e larvas

5.6 Migração entre ambientes de diferentes salinidades

5.7 Exercício e osmorregulação

5.8 Hipóxia e osmorregulação

5.9 Ph e osmorregulação

5.9 Dureza da água e osmorregulação

5.10 Resíduos nitrogenados

6 Endocrinologia

6.1 Introdução

6.2 Hipotálamo – hipófise

6.2.1 Hormônios liberados pelo hipotálamo e armazenados na neuroipófise 121

6.2.2 Hormônios liberados pelo hipotálamo que alteram a produção e/ou liberação de hormônios da adenoipófise

6.2.3 Hormônios da adenoipófise

6.3 Tireóide

6.4 Glândula interrenal

6.4.1 Células cromafins

6.4.2 Células interrenais

6.5 Pâncreas

6.5.1 Insulina

6.5.2 Glucagon

6.5.3 Somatostatina

6.5.4 Amilina

6.6 Sistema renina-angiotensina

6.7 Coração

6.8 Pineal

6.9 Glândula ultimobranquial

6.10 Corpúsculos de stannius

6.11 Sistema neurossecretor caudal

6.12 Trato gastrintestinal

6.12.1 Guanilinas

7 Reprodução

7.1 Introdução

7.2 Gônadas

7.2.1 Testículos

7.2.2 Ovários

7.3 Diferenciação sexual

7.4 Fertilização e estratégias de desova e espermiação

7.4.1 Tipos de fertilização

7.4.2 Estratégias de reprodução

7.4.3 Tipos de desenvolvimento oocitário

7.4.1 Tipos de desova

7.5 Endocrinologia da reprodução

7.5.1 Regulação da liberação das gonadotrofinas

7.5.2 Esteróides gonadais

7.5.3 Controle do crescimento do oócito

7.5.4 Outros hormônios que participam na reprodução

7.4.7 Feromônios

7.6  Indução da inversão (ou reversão) sexual

7.6.1 Indução da inversão sexual por fatores abióticos

7.6.2 Indução da inversão sexual por hormônios

7.6.3 Masculinização com hormônios

7.6.4 Feminilização com hormônios

7.7 Indução da maturação final, espermiação e desova

7.7.1 Antiestrógenos

7.7.2 Hormônios liberadores de gonadotrofinas

7.7.3 Gonadotrofinas

7.7.4 Esteróides

7.8 Fatores bióticos e reprodução

7.9 Fatores abióticos e reprodução

8 Crescimento

8.1 Introdução

8.2 Parâmetros para análise do crescimento

8.3  Influência de fatores bióticos no crescimento

8.3.1 Tamanho

8.3.2 Comportamento e crescimento

8.3.3 Efeito da densidade de estocagem

8.3.4 Efeito de hormônios no crescimento

8.4 Fatores ambientais e crescimento

8.4.1 Temperatura

8.4.2 Fotoperíodo e intensidade de luz

8.4.3 Cor do substrato (ou tanque) e da iluminação

8.4.4 Turbidez

8.4.5 Salinidade

8.4.6 Ph

8.4.7 Dureza

8.4.8 Resíduos nitrogenados

8.4.9 Disponibilidade de oxigênio

8.4.10 Sulfeto de hidrogênio

8.4.11 Velocidade de corrente de água

8.4.12 Turbulência

8.5  Efeito da combinação de fatores sobre o crescimento

8.5.1 Salinidade e temperatura

8.5.2 Salinidade e densidade de estocagem

8.5.3 Salinidade e intensidade de luz

8.5.4 Oxigênio dissolvido e amônia

9 bibliografia

10 anexo

10.1 nomes populares e científicos de teleósteos citados