• Imagem Carrinho Vazio Seu Carrinho Está Vazio

  • Botão Fan Page Facebook

O Brasil como Império Independente

analisado sob o aspecto histórico, mercantilístico e político - 1824

Versão Impressa

Disponível: Em estoque

R$45,00

Descrição Rápida

A obra retrata um país que supera a condição de colônia de Portugal para tornar-se um Império Independente.

Mais Imagens

Detalhes

De colônia à Império Independente: transformação de tamanho alcance e profundidade que veio acompanhada de tensões e conflitos, manifestações inevitáveis de ressentimento, descontentamento e revolta contra os colonizadores. Publicada originalmente em alemão, em 1824, a obra ganha sua primeira tradução para o português através do trabalho de Arthur Bl. Rambo, que também a apresenta e anota.

Tags do Produto

Use espaços para separar as tags. E aspas simples (') para frases.

Título O Brasil como Império Independente
Subtítulo analisado sob o aspecto histórico, mercantilístico e político - 1824
Autor(es) Georg Anton Von Schäfer
Editora/Selo Editora UFSM
Assunto Principal História, Brasil, 1818-1823
Assunto Secundário Não
Origem do Livro (Nacional/Importado) Nacional
Coleção Não
Número de Páginas 368 Pág.
Número da Edição
Ano da Edição 2007
ISBN 9788573910852
Código de Barras 9788573910852
Faixa Etária graduação, pós graduação e outros.
Idioma Português
Número do Volume ou Tomo Único
Classificação Fiscal (ncm) 49019900

Capítulo primeiro. As três viagens e permanências do autor no Brasil, 31 – 1.Primeiro desembarque no Rio de Janeiro, 33 – 2. Permanência aí, 34 – 3. O porto marítimo do Rio, 36 – 4. O Brasil em 1814, 38 – 5. Segundo desembarque no Rio de Janeiro em 1818, 38 – 6. Um novo desembarque, 1821, 40 – 7. Viagem até o Peruípe e instalação da Colônia de Frankental, 41 – 8. Viagem a São Paulo, 44 – 9. Viagem a Minas Gerais, 47 – 10. Vila Rica, 51 – 11. Viagem de volta ao Rio de Janeiro, 53 – 12. Retorno à Europa, 55

 

Capítulo segundo. O Brasil como foi, 57 – 1. O conceito de Colônia, 59 – 2. Origem das colônias ibéricas, 59 – 3. Canárias e Açores, 60 – 4. Povoamento e empreendimentos na América, 61 – 5. Cabral descobre o Brasil, 62 – 6. A mais antiga Constituição do Brasil, 64 – 7. Constituição colonial, 67 – 8. Limitação do comércio, 68 – 9. Opressão e impostos, 71  – 10. O Brasil não poderia permanecer português, 79

 

Capítulo terceiro. Os progressos do Brasil na civilização e seus anseios pela independência, 83 – 1. O despertar da América, 85 – 2. Os habitantes do Brasil, 88 – 3. Os crioulos e os chapetons, 91 – 4. Os maus tratos dados à colônia, 95 – 5. Os preparativos para a libertação da América, 96 – 6. Chegada da família real

de Portugal ao Rio de Janeiro, 99 – 7. O Brasil como reino independente, 101 – 8.

A revolução portuguesa, proclamação da Constituição no Rio de Janeiro, e a partida

do rei D. João VI, 102

 

Capítulo quarto. Apresentação histórica dos acontecimentos do Brasil depois da partida do rei em 26 de abril de 1821, com documentos, 111 – 1. Princípios da Constituição portuguesa e as primeiras iniciativas de D. Pedro, 113 – 2. O decreto das Cortes contra a independência do Brasil e seus efeitos, 116 – 3. A expulsão das tropas portuguesas do Rio de Janeiro. Morte do príncipe João Pedro, 122 – 4. Preparação para a independência

– Declaração do Brasil, 124 – 5. Acontecimentos na Bahia. D. Pedro é declarado Defensor Constitucional e Perpétuo do Brasil, 128 – 6. O discurso de D. Pedro por ocasião da abertura do Conselho de Estado, 139 – 7. Convocação da Assembléia Geral Constituinte, 140 – 8. Montevidéu – Paraíba, 142 – 9. Manifesto de D. Pedro aos povos do seu Império e manifesto aos governos e nações amigas, 143 – 10. Viagem de D. Pedro a São Paulo e os movimentos de lá em favor da independência, 162

 

Capítulo quinto. O Brasil como império independente, 165 – 1. Justificativa para a independência, 167 – 2. D. Pedro I aclamado imperador do Brasil, 173 – 3. Coroação

do imperador, 177 – 4. Abertura da Assembléia Geral Constituinte. Discurso do imperador, 180 – 5. Libertação da Bahia, 185 – 6. Mudança ministerial, 188 – 7.

Primeiro projeto de Constituição, 190 – 8. Rejeição de uma relação diplomática com

Portugal sem um prévio reconhecimento da independência, 194 – 9. Dissolução da primeira Assembléia Geral, 196

 

Capítulo sexto. Visão sobre as regiões que compõem o Império do Brasil, 201 – 1. As províncias do Brasil, 203 – 2. A costa do Brasil, 205 – 3. A posição geográfi ca do Brasil, 206 – 4. O Brasil comparado com outros impérios, especialmente com a Áustria e a Rússia, 209 – 5. A população do Brasil comparada a de outros países do mundo, 216

 

Capítulo sétimo. As perspectivas comerciais e mercantilísticas do Brasil, 219 – 1. Sobre dinheiro e comércio em geral, 221 – 2. O comércio do Brasil liberado, 225 – 3. Os produtos de exportação do Brasil, 227 – 4. As importações do Brasil, 240 – 5. Artigos de importação a partir dos países em particular, 245 – 6. Comércio costeiro e do interior do país, 248 – 7. O comércio marítimo, 249 – 8. Os portos marítimos do Brasil, 250 – 9. Perspectivas para o comércio do Brasil, 259

 

Capítulo oitavo. A agricultura do Brasil e suas perspectivas, 261 – 1. A agricultura do Brasil só existe na esperança, 263 – 2. O solo arável do Brasil, 269 – 3. Como tornar o solo arável e as técnicas de produção dos produtos de maior destaque, 270

 

Capítulo nono. O espírito industrioso do Brasil e suas perspectivas, 275 – 1. Valorização da indústria considerando o Brasil, 277 – 2. As lavras de ouro, 280 – 3. As lavras de diamante, 282 – 4. A capacidade criativa dos nativos, 284

 

Capítulo décimo. A independência do Brasil em relação a Portugal e os demais estados continentais da Europa, 287 – 1. O sistema continental em contraposição ao sistema marítimo, 289 – 2. A vantagem de Portugal com a independência do Brasil, 290 –3. A posição política de Portugal em relação ao Brasil, 297 – 4. Provas da importância

da independência do Brasil para a Europa e seus estados mercantilistas, 301 – 5. Prova da importância do Brasil como império independente para as possíveis formas monárquicas de governo na América, 306

 

Capítulo décimo primeiro. A independência do Brasil em relação aos demais estados americanos e à Grã-Bretanha, 313 – 1. A Grã-Bretanha como protetora da independência americana, 315 – 2. Prova até que ponto a independência do Brasil é importante para a Grã-Bretanha, 318 – 3. A aliança natural do Brasil com os Estados

Unidos da América do Norte, 319 – 4. A posição do Brasil em relação aos estados livres

surgidos na América espanhola, 320

 

Capítulo décimo segundo. Considerações sobre a vida e os costumes dos brasílios, 325 – 1. Considerações sobre os brasílios, 327 – 2. A vida doméstica do imperador e da imperatriz, 328 – 3. Formação e instituições de formação, 331 – 4. Inclinação para a arte, 334 – 5. Alimentos e doenças, 337 – 6. Pragas, 341 – 7. Habitações, 343

 

Capítulo décimo terceiro. A emigração para o Brasil e orientações para aqueles que pretendem emigrar para lá, 345 – 1. Alerta contra mercadores de almas, 347 – 2. As formas como os emigrantes podem chegar até o Brasil, 348 – 3. Instalação dos navios de transporte de colonos e recepção dos emigrados no Brasil, 349 – 4. A quem se aconselha emigrar para o Brasil, 351

 

Capítulo décimo quarto e último. Provas de que é impossível reduzir novamente o Brasil à condição de uma colônia dependente, 353 – 1. Comparação entre a situação do Brasil e dos Estados Unidos, no momento em que conquistaram a independência, 355 – 2. Guerras de conquista de qualquer forma não têm chances na América, 360 – 3. As forças de combate de Portugal, 361 – 4. O Brasil livre, autônomo e independente, 365