• Imagem Carrinho Vazio Seu Carrinho Está Vazio

  • Botão Fan Page Facebook

Quando o serviço os chamava

Milicianos e Guardas Nacionais no Rio Grande do Sul (1825-1845)

Versão Impressa

Disponível: Em estoque

R$32,00

Descrição Rápida

Este livro aborda a participação dos habitantes do Rio Grande do Sul, da primeira metade do século XIX, nas organizações militares não profissionais da época: as Milícias e a Guarda Nacional.

Mais Imagens

Detalhes

Baseado em uma grande pesquisa documental, o autor analisa como milicianos e guardas nacionais reagiam frente às obrigações do serviço das armas, centrando seu olhar naqueles indivíduos que formavam as unidades e não nos que ocupavam os mais altos postos de mando. Sem dúvida, este é um trabalho indispensável para quem tem o interesse de compreender o Rio Grande do Sul de ontem e de hoje. Um espaço marcado, profundamente, pela ação de exércitos e, atualmente, por vezes, compreendido através de concepções que não resistem à crítica de uma análise historiográfica.

Tags do Produto

Use espaços para separar as tags. E aspas simples (') para frases.

Título Quando o serviço os chamava
Subtítulo Milicianos e Guardas Nacionais no Rio Grande do Sul (1825-1845)
Autor(es) José Iran Ribeiro
Editora/Selo Editora UFSM
Assunto Principal História - Rio Grande do Sul - 1825-1845, Rio Grande do Sul - História político-militar, Milicianos - história - Rio Grande do Sul, Guardas Nacionais - história - Rio Grande do Sul
Assunto Secundário Não
Origem do Livro (Nacional/Importado) Nacional
Coleção Não
Número de Páginas 304 Pág.
Número da Edição
Ano da Edição 2005
ISBN 857391050X
Código de Barras 9788573910506
Faixa Etária Graduação, pós graduação e outros
Idioma Português
Número do Volume ou Tomo Único
Classificação Fiscal (ncm) 49019900

Primeiras palavras

 

I – Vinda de Além-Mar

1 Uma organização complexa, semi-profissional, responsabilizada – a estrutura militar brasileira

2 Para servir ao Imperador – o alistamento dos milicianos

2.1 Pais “remissos” – as famílias e os alistamentos

3 Servindo ao Imperador – os milicianos em serviço

3.1 Podendo não voltar mais – as mobilizações para guerra

3.2 Entre arranjos, desertores, índios e outras demandas – os serviços policiais nas localidades em uma conjuntura de guerra

 

II Nova Nação, nova precisão!

4 O comprometimento com a ordem – a Guarda Nacional

4.1 Garantindo a ordem no Paço – a criação da Guarda Nacional no Império

4.2 Até a vista Coronel! Buenas, Senhor Juiz! – A Criação da Guarda Nacional no Rio Grande de São Pedro

 

III “Privilegiados” da ordem: os guardas nacionais

5 Das obrigações da cidadania – a qualificação para a Guarda Nacional

5.1 “Comprometendo-se” com a ordem – as qualificações

5.2 Desconsiderando a diferença – a possibilidade do recrutamento para o Exército

5.3 Libertos, “vadios” e estrangeiros – a “desordem” na Guarda Nacional

6 O ônus da cidadania – Os Guardas Nacionais em serviço

6.1 Entre praças, presos e outras pensões – a Guerra policial nas localidades

6.2 Mediando o dever e o inimigo pela trincheira – a Guerra e a defesa das cidades

6.3 A Guerra Província afora – os corpos de cavalaria da Guarda Nacional

6.4 Praças de “maus costumes” e outros desertores, relativa distinção – a recusa do serviço

 

Últimas palavras

Fontes manuscritas

Fontes impressas e bibliografia contemporânea

Bibliografia