Seja bem-vindo à Editora UFSM!

Estética da Professoralidade

Como se vem a ser professor? Neste livro, Marcos Vilella Pereira encaminha sua investigação no sentido de desvelar algumas atitudes subjetivas que deram forma a sua escolha em ser professor.
Livro Impresso
R$37,50
R$37,50
Descrição
Ser professor, para o autor, é como uma marca que se produz no sujeito. Não é vocação, não é identidade, não é destino. É produto de si. Assim, a sua busca pela formação acadêmica caminhou no sentido de buscar modos de apropriação e ativação dessa marca em consonância com as singularidades que constituem o campo de existencialização do indivíduo. Este livro traz alguns recortes dessa trajetória. O conjunto de capítulos perfaz um quadro em movimento das reflexões que tem praticado e que tem conseguido colocar no papel. Tarefa bem difícil essa, na medida em que, na maioria das vezes, escrever tem significado lutar contra a dinâmica do conhecimento praticado e vivido, lutar no meio de uma trama de divergências entre o vivido, o pensado, o visto, o dito, o descrito e o escrito.
Informação Adicional
Título Estética da Professoralidade
Subtítulo um estudo crítico sobre a formação do professor
Autor(es) Marcos Villela Pereira
Editora/Selo Editora UFSM
Assunto Principal Educação, Ensino, Filosofia da educação, Estética, Formação de professores
Assunto Secundário Não
Origem do Livro Nacional
Coleção Não
Número de Páginas 248 Pág.
Número da Edição
Ano da Edição 2013
ISBN 9788573911954
Código de Barras 9788573911954
Faixa Etária Graduação, pós graduação e outros.
Idioma Português
Número do Volume ou Tomo Único
Classificação Fiscal (NCM) 49019900
Sumário

Prezada leitora, prezado leitor

Nota ao leitor

Apresentação

 

1  Problematização

1.1 Meus quadros de referência: os mundos de Foucault, Deleuze e Guattari

1.2  Sobre identidade e diferença na formação do professor

1.3  A autobiografia e seus perfis genealógico e cartográfico

 

2 Demarcação

2.1 Meus quadros de prática: onde se exerce a minha professoralidade

2.2  Alcance do meu olhar investigativo

2.3  Algumas razões pela escolha metodológica

 

3  Caminhos da microestética

3.1 Sobre dois tipos de aula: indícios de práticas possíveis

3.2  Sobre os procedimentos metodológicos da autobiografia: os caminhos formais

3.3  Duas dimensões do exercício da memória: uma tentativa de ressignificação

3.3.1 A memória retentiva

3.3.2 A memória projetiva

3.4 Sobre a estética: outra tentativa de ressignificação

3.4.1 A macroestética

3.4.2 A microestética

 

4 A exploração da metáfora como estratégia crítica

4.1  Um pouco sobre as metáforas e seu uso como estratégia 

4.2  Entendimento da disciplina como limite da crítica

 

5 A estética da professoralidade

5.1  Heterogênese e formação de professores

5.2  O professor: fábula de um personagem não muito fictício

5.3  Aventuras no percurso de formação: meus jogos de trilha

5.3.1 As tartaruguinhas marinhas

5.3.2 A espiral da professoralidade

5.3.3 O uroborus ou De como entrar e nunca mais sair

 

Bibliografia

Carregando...