Seja bem-vindo à Editora UFSM!

Degredados e Imigrantes

Este livro investiga a composição, a condição social e as estratégias de um grupo de emigrantes, provenientes das Casas de Correção, Trabalho e Penitenciárias do Grão Ducado de Mecklenburg-Schwerin, estabelecidos no Rio Grande do Sul a partir da primeira metade do século XIX.
Livro Impresso
R$35,00
R$35,00
Ebook
R$24,50
R$24,50
Descrição
A presença de mecklenburgueses nas Colônias Alemãs do Rio Grande do Sul/Brasil gerou controvérsias na historiografia. Os mais “conservadores” admitem que os mecklenburgueses chegaram “antes de 1824”, “estabeleceram-se em Santa Catarina” ou “desapareceram devido a sua conduta imoral”, sem de fato analisar o movimento de seus agentes.
Informação Adicional
Título Degredados e Imigrantes
Subtítulo Trajetórias de ex-prisioneiros de Mecklenburg-Schwerin no Brasil Meridional (século XIX)
Autor(es) Caroline von Mühlen
Editora/Selo Editora UFSM
Assunto Principal História - Imigração alemã - Rio Grande do Sul, História - colonização alemã - Rio Grande do Sul, Política - Brasil, História - Brasil
Assunto Secundário Não
Origem do Livro Nacional
Coleção Não
Número de Páginas 244 Pág.
Número da Edição
Ano da Edição 2013
ISBN 9788573911770
Código de Barras 9788573911770
Faixa Etária Graduação, pós graduação e outros.
Idioma Português
Número do Volume ou Tomo Único
Classificação Fiscal (NCM) 49019900
Sumário

Apresentação

1 Introdução

 

Parte I "O que se sabia..."

2 Representações acerca do imigrante mecklenburguês

 2.1 Perpetuação de um mito: os mecklenburgueses através das lentes da historiografia clássica.

2.2 Sob olhar dos viajantes: colônia e imigrante alemão no Rio Grande do Sul

2.3 Um novo olhar... E a historiografia recente

 

Parte II Grão-Ducado de Mecklenburg-Schwerin na primeira metade dos Oitocentos

3 Negociação, transporte e travessia: peculiaridades do sistema burocrático alemão

3.1 O lócus de análise em um contexto em transformações no primeiro quartel dos Oitocentos

3.2 Autos acerca do processo de recrutamento de prisioneiros mecklenburgueses

3.2.1 Transporte: da Casa de Correção até o porto de Hamburgo

3.2.2 Relatório do Capitão de Cavalaria Hanfft

3.3 “As âncoras foram levantadas e os emigrantes deixaram” o Grão-Ducado de Mecklenburg-Schwerin: travessia do Oceano Atlântico

3.3.1 Entre tempestades e ventos favoráveis: verão de 1824

3.3.2 A “tragi-comédia” no navio Georg Friedrich

4 Exclusão, criminalidade e prisão: perfil dos prisioneiros de mecklenburg-schwerin

4.1 Sistema carcerário no Grão-Ducado de Mecklenburg-Schwerin

4.2 Crimes contra a propriedade e contra a vida: furtos, assassinatos, maus-tratos

4.2.1 Perfil dos envolvidos

4.3 Crimes contra a ordem pública: vagabundos, sem pátria, desertores

4.3.1 O perfil dos envolvidos e dos crimes

 

Parte III Trajetórias de mecklenburgueses no Rio Grande de São Pedro Oitocentista

5 Em busca de melhores condições de vida: estratégias sociais e trajetórias familiares

5.1 Viver e sobreviver na Colônia Alemã: razões de sua fundação

5.2 Cotidiano e formas de sociabilidade: mobilidade e inserção social dos ex-prisioneiros no Rio Grande do Sul

5.2.1 Tecendo alianças: cruzando destinos e trajetórias diversas

5.2.2 Relações interpessoais: muitos parentes

5.2.2.1 Compadrio da família Witt

5.2.2.2 Compadrio da família Scheck

5.2.3 Problemas de sociabilidade: crimes e conflitos

 

6 Considerações finais

7 Fontes e bibliografia

8 Índice onomástico

9 Índice de localidade

 

Apêndices

Carregando...