Seja bem-vindo à Editora UFSM!

O Brasil como Império Independente

A obra retrata um país que supera a condição de colônia de Portugal para tornar-se um Império Independente.
Livro Impresso
R$45,00
R$45,00
Ebook
R$31,50
R$31,50
Descrição
De colônia à Império Independente: transformação de tamanho alcance e profundidade que veio acompanhada de tensões e conflitos, manifestações inevitáveis de ressentimento, descontentamento e revolta contra os colonizadores. Publicada originalmente em alemão, em 1824, a obra ganha sua primeira tradução para o português através do trabalho de Arthur Bl. Rambo, que também a apresenta e anota.
Informação Adicional
Título O Brasil como Império Independente
Subtítulo Analisado sob o aspecto histórico, mercantilístico e político - 1824
Autor(es) Georg Anton Von Schäfer
Editora/Selo Editora UFSM
Assunto Principal História, Brasil, 1818-1823
Assunto Secundário Não
Origem do Livro Nacional
Coleção Não
Número de Páginas 368 Pág.
Número da Edição
Ano da Edição 2007
ISBN 9788573910852
Código de Barras 9788573910852
Faixa Etária graduação, pós graduação e outros.
Idioma Português
Número do Volume ou Tomo Único
Classificação Fiscal (NCM) 49019900
Sumário

Capítulo primeiro. As três viagens e permanências do autor no Brasil, 31 – 1.Primeiro desembarque no Rio de Janeiro, 33 – 2. Permanência aí, 34 – 3. O porto marítimo do Rio, 36 – 4. O Brasil em 1814, 38 – 5. Segundo desembarque no Rio de Janeiro em 1818, 38 – 6. Um novo desembarque, 1821, 40 – 7. Viagem até o Peruípe e instalação da Colônia de Frankental, 41 – 8. Viagem a São Paulo, 44 – 9. Viagem a Minas Gerais, 47 – 10. Vila Rica, 51 – 11. Viagem de volta ao Rio de Janeiro, 53 – 12. Retorno à Europa, 55

 

Capítulo segundo. O Brasil como foi, 57 – 1. O conceito de Colônia, 59 – 2. Origem das colônias ibéricas, 59 – 3. Canárias e Açores, 60 – 4. Povoamento e empreendimentos na América, 61 – 5. Cabral descobre o Brasil, 62 – 6. A mais antiga Constituição do Brasil, 64 – 7. Constituição colonial, 67 – 8. Limitação do comércio, 68 – 9. Opressão e impostos, 71  – 10. O Brasil não poderia permanecer português, 79

 

Capítulo terceiro. Os progressos do Brasil na civilização e seus anseios pela independência, 83 – 1. O despertar da América, 85 – 2. Os habitantes do Brasil, 88 – 3. Os crioulos e os chapetons, 91 – 4. Os maus tratos dados à colônia, 95 – 5. Os preparativos para a libertação da América, 96 – 6. Chegada da família real

de Portugal ao Rio de Janeiro, 99 – 7. O Brasil como reino independente, 101 – 8.

A revolução portuguesa, proclamação da Constituição no Rio de Janeiro, e a partida

do rei D. João VI, 102

 

Capítulo quarto. Apresentação histórica dos acontecimentos do Brasil depois da partida do rei em 26 de abril de 1821, com documentos, 111 – 1. Princípios da Constituição portuguesa e as primeiras iniciativas de D. Pedro, 113 – 2. O decreto das Cortes contra a independência do Brasil e seus efeitos, 116 – 3. A expulsão das tropas portuguesas do Rio de Janeiro. Morte do príncipe João Pedro, 122 – 4. Preparação para a independência

– Declaração do Brasil, 124 – 5. Acontecimentos na Bahia. D. Pedro é declarado Defensor Constitucional e Perpétuo do Brasil, 128 – 6. O discurso de D. Pedro por ocasião da abertura do Conselho de Estado, 139 – 7. Convocação da Assembléia Geral Constituinte, 140 – 8. Montevidéu – Paraíba, 142 – 9. Manifesto de D. Pedro aos povos do seu Império e manifesto aos governos e nações amigas, 143 – 10. Viagem de D. Pedro a São Paulo e os movimentos de lá em favor da independência, 162

 

Capítulo quinto. O Brasil como império independente, 165 – 1. Justi?cativa para a independência, 167 – 2. D. Pedro I aclamado imperador do Brasil, 173 – 3. Coroação

do imperador, 177 – 4. Abertura da Assembléia Geral Constituinte. Discurso do imperador, 180 – 5. Libertação da Bahia, 185 – 6. Mudança ministerial, 188 – 7.

Primeiro projeto de Constituição, 190 – 8. Rejeição de uma relação diplomática com

Portugal sem um prévio reconhecimento da independência, 194 – 9. Dissolução da primeira Assembléia Geral, 196

 

Capítulo sexto. Visão sobre as regiões que compõem o Império do Brasil, 201 – 1. As províncias do Brasil, 203 – 2. A costa do Brasil, 205 – 3. A posição geográ? ca do Brasil, 206 – 4. O Brasil comparado com outros impérios, especialmente com a Áustria e a Rússia, 209 – 5. A população do Brasil comparada a de outros países do mundo, 216

 

Capítulo sétimo. As perspectivas comerciais e mercantilísticas do Brasil, 219 – 1. Sobre dinheiro e comércio em geral, 221 – 2. O comércio do Brasil liberado, 225 – 3. Os produtos de exportação do Brasil, 227 – 4. As importações do Brasil, 240 – 5. Artigos de importação a partir dos países em particular, 245 – 6. Comércio costeiro e do interior do país, 248 – 7. O comércio marítimo, 249 – 8. Os portos marítimos do Brasil, 250 – 9. Perspectivas para o comércio do Brasil, 259

 

Capítulo oitavo. A agricultura do Brasil e suas perspectivas, 261 – 1. A agricultura do Brasil só existe na esperança, 263 – 2. O solo arável do Brasil, 269 – 3. Como tornar o solo arável e as técnicas de produção dos produtos de maior destaque, 270

 

Capítulo nono. O espírito industrioso do Brasil e suas perspectivas, 275 – 1. Valorização da indústria considerando o Brasil, 277 – 2. As lavras de ouro, 280 – 3. As lavras de diamante, 282 – 4. A capacidade criativa dos nativos, 284

 

Capítulo décimo. A independência do Brasil em relação a Portugal e os demais estados continentais da Europa, 287 – 1. O sistema continental em contraposição ao sistema marítimo, 289 – 2. A vantagem de Portugal com a independência do Brasil, 290 –3. A posição política de Portugal em relação ao Brasil, 297 – 4. Provas da importância

da independência do Brasil para a Europa e seus estados mercantilistas, 301 – 5. Prova da importância do Brasil como império independente para as possíveis formas monárquicas de governo na América, 306

 

Capítulo décimo primeiro. A independência do Brasil em relação aos demais estados americanos e à Grã-Bretanha, 313 – 1. A Grã-Bretanha como protetora da independência americana, 315 – 2. Prova até que ponto a independência do Brasil é importante para a Grã-Bretanha, 318 – 3. A aliança natural do Brasil com os Estados

Unidos da América do Norte, 319 – 4. A posição do Brasil em relação aos estados livres

surgidos na América espanhola, 320

 

Capítulo décimo segundo. Considerações sobre a vida e os costumes dos brasílios, 325 – 1. Considerações sobre os brasílios, 327 – 2. A vida doméstica do imperador e da imperatriz, 328 – 3. Formação e instituições de formação, 331 – 4. Inclinação para a arte, 334 – 5. Alimentos e doenças, 337 – 6. Pragas, 341 – 7. Habitações, 343

 

Capítulo décimo terceiro. A emigração para o Brasil e orientações para aqueles que pretendem emigrar para lá, 345 – 1. Alerta contra mercadores de almas, 347 – 2. As formas como os emigrantes podem chegar até o Brasil, 348 – 3. Instalação dos navios de transporte de colonos e recepção dos emigrados no Brasil, 349 – 4. A quem se aconselha emigrar para o Brasil, 351

 

Capítulo décimo quarto e último. Provas de que é impossível reduzir novamente o Brasil à condição de uma colônia dependente, 353 – 1. Comparação entre a situação do Brasil e dos Estados Unidos, no momento em que conquistaram a independência, 355 – 2. Guerras de conquista de qualquer forma não têm chances na América, 360 – 3. As forças de combate de Portugal, 361 – 4. O Brasil livre, autônomo e independente, 365

Carregando...